Bem-vindos

Olá a todos!
Se tiverem alguma dúvida ao consultar este blogue, não hesitem e contactar-me:
profcristinafontes@gmail.com







quarta-feira, 26 de Janeiro de 2011

O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá

Viva!
Podem (e devem) navegar pelos sítios abaixo indicado para se prepararem para a ficha de avaliação.
http://gmas.no.sapo.pt/atrio.htm (Muito útil)



http://vanda51-emportugues.blogspot.com/2010/05/o-gato-malhado-e-andorinha-sinha.html#/ (teste)


http://profteresa.podomatic.com/entry/2006-02-07T14_35_22-08_00 (Video de apoio à leitura global da obra O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá)



http://proftwebquests.no.sapo.pt/index.htm (Webquest)



http://www.scribd.com/doc/22298158/O-Gato-Malhado-e-a-Andorinha-Sinha (Escolha Múltipla)





A LER COM ATENÇÃO:

Elementos da narrativa
Tempo
A história principal é narrada seguindo um tempo cronológico: as estações do ano. Simbolicamente, elas estão de acordo com os sentimentos das personagens principais. Na Primavera, o Gato e a Andorinha conhecem-se. No Verão, o Gato apercebe-se que está apaixonado pela Andorinha e fica com ciúmes, porque ela sai com o Rouxinol. No Outono, o Gato é discriminado pelas outras personagens, devido à má fama que tivera no passado (era mau, rabugento, perigoso, temido). Foi também durante esta estação que ele escreveu poemas apaixonados e nostálgicos, para a sua amada andorinha. O Inverno é caracterizado pela separação dos amantes e a tristeza, de certo modo, acompanha-os.
Entretanto, o narrador altera a ordem cronológica ao utilizar algumas analepses e prolepses, narrações abreviadas e explicativas. É o caso do “Capítulo inicial, atrasado e fora do lugar”. O próprio narrador informa que foi “por um erro de estrutura ou por moderna sabedoria literária”.
Espaço
Há três tipos de espaço: físico, social e psicológico.
Espaço físico - O parque, onde as personagens se movem e vivem.
Espaço social - O Gato é um vagabundo que vive no parque, onde todos o temem. A Andorinha é uma jovem muito protegida pelos pais e pertence a uma classe social alta. Daí, tratar-se também de um amor impossível devido às suas diferenças sociais.
Espaço psicológico - O Gato Malhado vive uma experiência que lhe abre as portas para “um mundo de recordações, de doces momentos vividos, de lembranças alegres.” O gato sofre muito com a perda da sua andorinha amada, mas esse sofrimento fá-lo crescer interiormente.


Narrador
Presença
- O narrador não participa da história, narrador heterodiegético, a sua narração é feita na 3ª pessoa:
“A história que a Manhã contou ao Tempo para ganhar a rosa azul foi a do Gato Malhado e a Andorinha Sinhá; [...] Eu a transcrevo aqui por tê-la ouvido do ilustre Sapo Cururu [que contou o caso] para provar a irresponsabilidade do amigo [...].”

Personagens
A caracterização das personagens é feita pelo narrador e pelas outras personagens – caracterização directa. Há também caracterização indirecta – o narrador põe a personagem em acção, cabendo ao leitor, através do seu comportamento e das suas falas, traçar o seu retrato.

Personagens principais
Gato Malhado
- Olhos pardos, feios e maus, riso malvado, corpanzil forte e ágil, de riscas amarelas e negras. Gato de meia-idade, egoísta e orgulhoso, solitário, mal-humorado, ingrato, calado e bastante convencido. Era muito mal visto, porque quase não conversava com ninguém.
Sentia falta de afecto e de carinho.
Andorinha Sinhá – Muito jovem e bela, risonha, alegre, aventureira, curiosa. “Livre de todas as preocupações, inocente”, gentil e conversadora, mantinha boas relações com todos. Era “terna e obediente, amava os pais (…) bem comportada, amável e bondosa.” A Andorinha, quando conheceu o Gato, viu-o como um desafio: ouvira falar muito mal dele, fora até proibida de chegar perto dele, mas “o fruto proibido é o mais apetecido”. O narrador acha-a “louquinha” por ela se dar com o inimigo.


Personagens secundárias
Rouxinol
– “É belo e gentil, sabe cantar, é de raça volátil.” É o professor de canto da Andorinha e seu pretendente. É com ele que a Andorinha casa. O Gato tem ciúmes dele.
Reverendo Papagaio - Tinha passado algum tempo “no seminário onde aprendera a rezar e decorara frases em latim, o que lhe dava valiosa reputação de erudito”. Dava aulas de religião à andorinha. É um hipócrita, covarde e devasso, que fazia propostas indecentes ao público feminino.
Galo Don Juan de Rhode Island – “inveterado e invejado polígamo, maometano”, “vida devassa” (reparem no seu nome!). Foi o juiz do casamento da Andorinha e do Rouxinol.
Sapo Cururu - Companheiro do Vento, o Sapo é quem relata a história do gato e da andorinha ao narrador. “O sapo Cururu é Doutor em Filosofia, Catedrático de Linguística e Expressão Corporal, cultor de rock, membro de direito, correspondente e benemérito de Academias nacionais e estrangeiras, famoso em várias línguas mortas.” É ele que nos conta que o Gato plagiou os sonetos.
Pombo-Correio – “vivia em longas viagens, levando a correspondências do parque”. Tinha boa índole, mas era visto como um tolo, porque a sua companheira andava a traí-lo com o Papagaio.
Vaca Mocha - Figura com muito prestígio, respeitada por todos, pois era descendente de um touro argentino. É tranquila, prudente, um pouco solene e irónica. “Possuía um temperamento vingativo, humor variável”. Falava uma mistura de português com espanhol para impressionar as outras personagens (“dava-lhe status”), mas a sua língua é o português.

Figurantes
Manhã
- É uma “funcionária relapsa”, preguiçosa, “fanática por uma boa história”, distraída, sonhadora, delicada. Risonha e inconsequente, "jovem e aloucada (…) distraída, pensativa”. Ela apaga as estrelas e acende o Sol.
Tempo - É o “senhor de todos eles”. Tinha um fraquinho pela Manhã.
Vento - É “velhaco e atrevido”, irresponsável. “Um tanto quanto louco”, “alegre, ágil, dançarino de fama, pé-de-valsa celebrado, amigueiro, sempre disposto a ajudar os demais, sobretudo em se tratando de senhoras e donzelas”.”Bisbilhoteiro e audacioso, rei dos andarilhos”. “Livre e inconstante, solteirão profissional”. “Um saudosista”. Aventureiro, foi através das suas aventuras que ele aprendeu esta história de amor e resolveu contá-la à Manhã para cortejá-la.
Cobra Cascavel - É o animal mais temido de todos. Morava fora do parque, porque foi expulsa pelo Gato Malhado.

Velha Coruja – Tinha muito prestígio, “conhecia a dedo a vida de todos os habitantes do parque” e é com ela que o Gato falava mais.
Cães - Ajudam a compor o ambiente do parque.
Pata Pepita e o Pato Pernóstico - Ajudam a compor o ambiente no que diz respeito à vida social do parque. A pata condena o amor do Gato e da Andorinha: “pata com pato, [...] andorinha com ave, gata com gato”, influenciando as outras personagens.



1 comentário: